Logística

Logística: 5 medidas de segurança no transporte de cargas

Escrito por Eduardo Labre

O tema da segurança no transporte de cargas não pode ser descuidado em nenhuma firma que atue nesse ramo de negócios, pois ele é fundamental em suas ações administrativas e operacionais — além, é claro, na proteção de sua imagem junto aos clientes e colaboradores.

Continue com a leitura deste post e fique por dentro das dicas que apresentamos, destinadas à redução e gerenciamento dos riscos em suas atividades. Siga em frente e confira!

Dicas de segurança no transporte de cargas

Em geral, os profissionais e empresas experientes no transporte de cargas têm um conhecimento acumulado (um “know-how” = “saber como”), que permite agir com prudência, de modo a garantir uma segurança adequada em suas operações.

Sendo assim, que tal se espelhar em seus ensinamentos? Acompanhe as dicas que apresentaremos a seguir!

1. Treinar o condutor do veículo

A busca da redução de riscos na locomoção de produtos deve começar com o fator humano: treinar o motorista da forma mais completa possível, o que permitirá que ele realize seu trabalho de forma consciente e proativamente — ou seja: de modo a se antecipar aos possíveis acidentes com os quais possa se deparar.

2. Verificar as condições do caminhão

Esse ponto é básico: não há como pensar em segurança quando os responsáveis pela manutenção dos veículos não cumprem suas funções. Um caminhão em más condições de uso — pneus gastos, problemas elétricos e mecânicos, etc. — é um sério candidato a provocar danos materiais, sem contar o perigo ainda maior: ameaçar a saúde e vidas humanas.

3. Checar o peso dos volumes transportados

Um veículo com excesso de peso é outro fator extremamente perigoso, pois suas consequências poderão ser nefastas, como forçar o sistema de freios ou o motor, ou mesmo danificar a estrutura da carroceria. Tudo isso resultará em prejuízos às mercadorias e, mais uma vez, em imperdoáveis ameaças às pessoas. Alem disso, tem de se ficar atento com a correta distribuição do peso da carga no veículo, pois em alguns casos, o peso total do carregamento não excede a capacidade permitida por lei, mas o caminhoneiro pode ser autuado por conta da má distribuição do peso entre os eixos do caminhão.

4. Trafegar em comboios

O tráfego de vários caminhões em conjunto, seja de uma mesma empresa ou não, inibirá a ocorrência de roubos e furtos. Além disso, ele favorecerá a solidariedade entre os caminhoneiros, caso algum deles venha a sofrer algum problema de saúde ou qualquer outro tipo de imprevisto.

5. Utilizar rastreadores

O rastreador é um equipamento acoplado ao veículo e que permite sua monitoração via satélite — por exemplo, identificar a localização e o trajeto percorrido. Trata-se de um investimento relativamente baixo e, por isso, indispensável à segurança do transporte.

A necessidade de se gerenciar os riscos

Por tudo que falamos até aqui, você já deve ter percebido que gerenciar os riscos das atividades da transportadora é fundamental à segurança e ao bom andamento de seus negócios, não é mesmo?

Esse tipo de gerenciamento é constituído por um conjunto de práticas — como as elencadas acima —, destinadas à redução dos prejuízos em suas operações, muitos dos quais perfeitamente previsíveis. A verdade é que essa gestão se desenvolve e é aperfeiçoada no dia a dia, motivo pelo qual deve se transformar numa rotina em sua firma.

As noções que você obteve nesse post representam apenas um passo inicial quando se trata de segurança no transporte de cargas. Por isso, não fique parado! Procure aprofundar seus conhecimentos, habilidades e práticas nessa área.

Nesse sentido, aproveite para se familiarizar ainda mais com o tema do gerenciamento de riscos. As dicas que apresentamos neste artigo poderão ser muito valiosas para o progresso de seu empreendimento. Até breve!

Sobre o autor

Eduardo Labre

Deixar comentário.

Share This