Comércio Exterior

Conheça as principais tarifas alfandegárias

Escrito por Simplifica Fretes

Quem trabalha com comércio exterior e logística precisa conhecer as tarifas alfandegárias praticadas em nosso país, uma vez que elas afetam drasticamente o custo de nossas importações e exportações.

Se o tema é de seu interesse, continue com a leitura do post e fique por dentro de alguns assuntos proveitosos para sua profissão. Confira!

A carga tributária sobre o comércio exterior

A carga tributária no Brasil tem um enorme peso no custo dos produtos e serviços negociados, tantos nas operações internas (dentro do país) como nas externas (transações com países estrangeiros).

A atual política do Governo estimula as exportações, pois elas geram a entrada de recursos monetários e, portanto, o fortalecimento da balança comercial. Por essa razão, em geral, o exportador é beneficiado com uma carga mínima — quando não nula — sobre suas vendas para outros países.

Porém, o mesmo não ocorre com as importações: por tratar-se do processo inverso — saída de moeda e redução do saldo da balança comercial —, elas poderão sofrer uma pesada incidência de tributos, dependendo da mercadoria importada e do contexto econômico da nação.

As principais tarifas alfandegárias

Quando se fala em tarifas alfandegárias, o que vem à mente são os diversos tributos federais e estaduais (impostos, taxas e contribuições) que incidem sobre a importação e exportação de bens e serviços. Dentre eles, podemos citar os seguintes:

  • Imposto de Importação — II;

  • Imposto de Exportação — IE;

  • Imposto sobre Produtos Industrializados — IPI;

  • Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços — ICMS;

  • Imposto sobre Operações Financeiras — IOF;

  • Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público — PIS/PASEP;

  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social — COFINS;

  • Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante — AFRMM.

Alguns produtos gozam de imunidade tributária (proibição de cobrança de impostos estabelecida na Constituição Federal de 1988), como é o caso dos livros, jornais e periódicos, bem como do papel destinado à impressão de tais artigos. Outros podem ser momentaneamente isentos (por exemplo, certos medicamentos e produtos alimentares), a depender de decisões do Poder Executivo. 

Porém, como já dito, a grande maioria das importações é altamente tributada, o que se torna um obstáculo para muitas transações comerciais e, consequentemente, para as operadoras de logística e de comércio exterior.

Cálculo das tarifas devidas

A base de cálculo das tarifas alfandegárias leva em consideração todas as despesas e custos necessários à realização da transação comercial — preço dos produtos, fretes, seguros, custos de armazenagem, taxas cambiais e administrativas etc.

Porém, essa é uma noção apenas introdutória, pois o tema é complexo — sobretudo quando se trata da importação, cuja base de cálculo envolve o conceito de valoração aduaneira, um assunto de domínio dos especialistas na área.

Como você pôde perceber, neste artigo mostramos uma ideia geral do que sejam as tarifas alfandegárias. Assim, é necessário avançar no conhecimento do assunto, que é uma verdadeira paixão para muitos dos que se dedicam às atividades de comércio exterior e logística.

Se você gostou deste post, compartilhe-o nas redes sociais, pois ele poderá ser proveitoso para muitos outros interessados no tema!

Sobre o autor

Simplifica Fretes

Deixar comentário.

Share This